Objetivos da Estatística

From MM*Stat International

Jump to: navigation, search

Conceitos Básicos

Objetivos da Estatística  • Investigação Estatística  • Elementos Estatístiscos e População  • Variáveis Estatística • Escalas de Medida  • Variáveis Qualitativas  • Variáveis Quantitativas  • Agrupando Dados Contínuos  • Sequências Estatísticas e Frequências  • Questões de Múltipla Escolha
English
Português
Français
‎Español
Italiano
Nederlands


Definição de Estatística

Estatística é a ciência que coleta, descreve e interpreta dados, ou seja, é um conjunto de ferramentas básico para a pesquisa empírica. O objetivo científico da análise de dados é o de descrever nossa percepção de mundo. A descrição de relações entre fenômenos observáveis por meio de teorias é considerada, às vezes, explanatória. (Embora se possa argumentar que a ciência simplesmente descreve como as coisas acontecem e não por que acontecem). Criar uma teoria é um processo que reestrutura informação contida em teorias já existentes e aceitas ao mesmo tempo em que extrai informação útil do mundo real.(Estamos abstraindo, neste caso, a teoria axiomática pura derivada da lógica dedutiva)

Estatística Descritiva

Estatística Descritiva engloba ferramentas destinadas a organizar e apresentar dados em uma maneira acessível, que não ultrapasse os limites sensoriais da mente humana. Envolve a quantificação de fenômenos recorrentes. Várias estatísticas descritivas, principalmente médias, são calculadas; dados originais e respectivas estatísticas são representados usando-se tabelas e gráficos. A descrição estatística ajuda na formação de intuição a respeito da ocorrência de fenômenos isolados e de suas respectivas relações entre si. Porém, é possível que forneça resultados que possam ser considerados leis em um contexto científico ? Estatística é uma maneira de se lidar com variações nas características de diferentes objetos. Objetos isolados não representam a população de objetos que possuem as características investigadas. Mas a variabilidade pode ser resultado da variação(controlada ou aleatória) de outra variável, uma variável subjacente. A Física, por exemplo, se preocupa principalmente com a extraçãoe formulação matemática de relações exatas, não deixando espaço para flutuações aleatórias. Tais flutuações aleatórias são modeladas na estatística. Relações estatísticas são, portanto, relações que consideram uma certa proporção de variabilidade estocástica.

Estatística Indutiva

Contrastando com várias áreas da física, as relações empíricas observadas nas ciências naturais, sociologia e psicologia (e em áreas mais ecléticas, como economia) são estatísticas. O trabalho empírico nestas áreas é tipicamente baseado em experimentos e pesquisas sobre amostras. Em qualquer um dos casos a população total não pode, por motivos práticos ou econômicos, ser observada. Realizar inferências sobre características de uma população baseadas em uma amostra limitada de objetos desta população é o objetivo da inferência ou estatística indutiva. Aqui, variabilidade é o resultado da variação da amostra e do processo amostral.

Estatística e o Processo Científico

Dependendo do nível de investigação científica, os dados são examinados com diferentes graus de informação disponível. Dados podem ser coletados com o objetivo de investigar primordialmente algum fenômeno mas também com o objetivo de testar estatisticamente (verificar/rejeitar) alguma hipótese a respeito da estrutura da(s) característica(s) investigada(s). Portanto, Estatística é aplicada a todos os estágios do processo científico, sempre quando fenômenos quantificáveis são envolvidos. Nosso conceito de fenômeno quantificável é suficientemente genérico para englobar um grande escopo de proposições científicas interessantes. Tomemos por exemplo, a proposição ’o besouro está voando’. Ao contar o número de tal evento em vários lugares diferentes, estamos quantificando as ocorrências deste fenômeno. A partir disso podemos tentar infereir a verossimilhança de cruzarmos com um besouro sob certas circunstâncias (e.g em um dia chuvoso de verão em Berlim). Estatística Descritiva fornece maneiras de resumir e visualizar dados. A tabela abaixo, que contém a distribuição de frequências dos números soretados na Loteria, é um exemplo de tal resumo. Uma análise superficial sugere que alguns números ocorrem com mais frequência do que outros. Pode-se dizer que há bias na sorteio dos números ?Como iremos ver, métodos estatísticos também podem ser utilizados para testar tais hipóteses.

Frequências absolutas de números da loteria
1 2 3 4 5 6 7
311 337 345 316 321 335 322
8 9 10 11 12 13 14
309 324 331 315 302 276 310
15 16 17 18 19 20 21
322 319 337 331 326 312 334
22 23 24 25 26 27 28
322 319 304 325 337 323 285
29 30 31 32 33 34 35
321 311 333 378 340 291 330
36 37 38 39 40 41 42
340 320 357 326 329 335 335
43 44 45 46 47 48 49
311 314 304 327 311 337 361